Como funcionam as ondas do celular? Ondas eletromagnéticas e antenas

Como funcionam as ondas do celular? Ondas eletromagnéticas e antenas

Maria Maria 18 mar 2020

Os celulares são aparelhos semelhantes ao rádio. Eles funcionam através de ondas eletromagnéticas, a diferença entre um e outro, é que o rádio recebe tais ondas a partir de uma única antena; já o celular, recebe-as a partir de várias antenas que são divididos em células (daí vem o nome do aparelho).

Desta maneira, cada uma delas fica responsável por cobrir uma determinada região, e tal conjunto, constrói uma rede de células; ambas possuem diferenças e particularidades.

Ficou curioso para entender o funcionamento das ondas eletromagnéticas?

Então continue acompanhando este artigo para entender melhor como funcionam as ondas do celular, as ondas eletromagnéticas e as antenas.

Receba Novidades

Como funcionam as ondas eletromagnéticas?

As ondas eletromagnéticas foram descritas pela primeira vez pelo cientista e matemático escocês James Clerk Maxwell, ainda no século XIX.

O Físico modificou a visão que todos tinham sobre o assunto ao conseguir através de equações o resultado de interações entre o campo elétrico e o magnético.

Desta maneira, a corrente elétrica e a voltagem foram descritas pela primeira vez correlacionadas com o eletro magnetismo. Ele se tornou fundamental para o eletro magnetismo; tanto que até hoje suas equações são utilizadas para entender problemas relacionados ao assunto.

E como isso é utilizado no nosso aparelho celular? Todo celular comunica-se através delas. Mas com o avanço da tecnologia, conseguimos dividir as antenas em diversos canais com os quais o celulares se comunicam, geralmente com antenas que ficam localizadas em lugares altos, em topos de morros.

E são conectados por elas com diferentes canais, sendo que dois aparelhos podem estar presentes em uma linha ao mesmo tempo, desde que estejam ligados.

Um fato interessante que diferencia o celular do rádio é o fato dele além de estar dividido em células, ainda pode funcionar quando a pessoa está em movimento, pode mudar de uma célula para outra e não perder a ligação; além disso, a comunicação via rádio é uma pessoa falando de cada vez, mas no celular não, devido a divisão de células, ambas pessoas podem falar ao mesmo tempo e estarem presente no mesmo canal. Uma frequência é usada para ouvir e a outra para falar.

A antena do celular

A radiação emitida pelo aparelho cabe à antena que fica na parte superior do aparelho. Desta maneira, recebe o sinal das ondas eletromagnéticas e pode entrar na frequência da onda. E esta onda está no ar, ela é transmitida pela antena que capta-a, sendo assim, não é necessário a utilização de fios.

Desta maneira, cada celular é voltado para uma estação base, que possui antena (podendo ser mais de uma) e absorve a mensagem vinda dos aparelhos celulares e transfere-as para o destino da ligação, que é conectado a mesma célula. Sendo assim, os dois celulares são conectados e podem realizar a chamada.

Parece algo simples, mas foi uma evolução ao longo de séculos para chegarmos até onde estamos hoje.

E cada vez mais com a rede wireless estamos nos conectando via internet, mas as chamadas por antenas e captação pode facilmente ser utilizada hoje.

Quem não tem um celular? Hoje em dia dificilmente você encontrará uma pessoa sem um aparelho desse na mão.

Para facilitar o acesso e a comunicação, as chamadas geralmente passam pela central, para não ocorrer erros. Mas nem sempre acontece isso. Por isso é fundamental discar o DDD quando vai fazer uma ligação para outro estado ou região, pois o celular é reconhecido e está registrado em uma determinada antena e canal.

Vale lembrar que é fundamental o aparelho estar ligado para todas essas funções funcionarem.

O sinal do celular é divido em várias células, e sua rede é conectada por essas células, que são conectadas a uma antena principal.

É importante destacar que os celulares já foram alvo de vários estudos de saúde, pois as ondas eletromagnéticas emitidas pelo celular podem causar sérios danos à saúde.

Existem dois tipos de ondas, as ionizantes e as não ionizantes; sendo assim, a primeira é nociva a saúde, a outra não. Por que? Confira a seguir

Receba Novidades

Ondas eletromagnéticas e a saúde

A antena do celular emite ondas eletromagnéticas, pois está constantemente recebendo e enviando sinais; vale destacar que é uma frequência maior que a do rádio e desta maneira o celular é nocivo para nós, por que utilizamos perto da cabeça.

E as ondas – que possuem direção simétrica – vêm direto para nós. Se utilizamos por muito tempo o celular próximo ao corpo, ou mesmo dormimos com ele perto do travesseiro podemos estar prejudicando a nossa saúde. É importante passar essa informação adiante pois muitos não sabem disso e dormem com o celular embaixo do travesseiro, no carregador próximo à cama.

Diferentes estudos já foram realizados, por muitas universidades para entender os prejuízos que as ondas eletromagnéticas podem causar ao nosso corpo; o principal resultado destes estudos e experiências foi uma série de suspeitas de aumentar a chance de pessoas que utilizam-no próximo à cabeça, começarem a ter tumor maligno no sistema nervoso central.

Além disso, tal campo magnético do celular pode ser sim carcinogênico para nós humanos, modificando drasticamente a nossa saúde e deixando-nos vulneráveis perante este problema.

É perigoso dormir com o celular perto da cabeça?

Vale destacar que estes estudos são experiências e estão em fase inicial, apesar da suspeita, não há algo que comprove, ou mesmo que negue esta possibilidade, não sendo suficiente para concluir nenhum resultado específico de que essas ondas causam mesmo câncer nas pessoas.

Mas é preciso ficar atento, pois como disse o estudo, as chances de suspeitas são grandes. Então não abuse no uso do celular. Ele é indispensável hoje para nossa vida, mas se usado em excesso, sabe-se lá o que pode acontecer.

As antenas, as ondas eletromagnéticas e seu funcionamento são descobertas e experiências magníficas na trajetória de cientistas e estudiosos; tanto que estão até hoje em nossas vidas, aliás, mais do que nunca foram tão utilizadas.

Informe seus parentes, amigos e conhecidos, evite dormir com o celular embaixo do travesseiro ou próximo da cabeça, mas também não fique paranoico com isso.

Gostou do artigo? Continue acompanhando nossas postagens e fique por dentro de mais informação sobre celulares.

Fique por dentro

Receba as novidades no seu e-mail.

icone newsletter
banner lateral

Encontre o plano ideal para você.

Veja os planos

Selecionamos os melhores planos de telefonia, internet e tv por assinatura para o seu perfil.